TEOLOGIA AFRO

Autores

  • D. José Maria Pires

Resumo

Eis uma contribuição que jamais poderia ser solicitada pelos editores de uma revista católica se vivêssemos ainda nos tempos que antecederam a realização do Concílio Ecumênico do Vaticano II. Em anos pré-conciliares, falar em “Teologia” de religiões não-cristãs soaria quase como blasfêmia, uma espécie de escândalo para ouvidos pios. Tratando-se de negros, pior ainda. Os negros de África entraram no Brasil e na América Latina já reduzidos ao cativeiro. Foram vendidos nos mercados do Recife, da Bahia, do Rio e de Minas como mercadorias, peças de Guiné, peças de Angola, como se dizia então. Entre as “mercadorias” e seus compradores criou-se uma relação de dependência senhor x escravo. O comprador é dono, a mercadoria é posse.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2002-01-01

Como Citar

PIRES, D. J. M. TEOLOGIA AFRO. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 34, n. 92, p. 89, 2002. Disponível em: https://www.faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/644. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Notas e comentários