RATZINGER E HABERMAS: UM DIÁLOGO ENTRE DOIS ANTÍPODAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20911/21768757v51n3p519/2019

Resumo

No ano de 2004, encontraram-se em Munique dois importantes pen­sadores contemporâneos: Joseph Ratzinger e Jürgen Habermas. Representantes de posições bastante distintas, eles protagonizaram um evento intelectual de altíssimo nível e de grande repercussão. O diálogo entre eles girou em torno do tema da necessidade, ou não, de o Estado liberal se apoiar em pressupostos normativos pré-políticos para garantir a defesa da dignidade e a criação de vínculos de soli­dariedade entre os cidadãos. A investigação a respeito do tema conduziu ambos os alemães a colocarem a questão a respeito da relação entre a razão e a religião. O debate deu origem a múltiplos estudos posteriores. O objetivo do presente artigo é contribuir com esses estudos. Procuraremos mostrar que a divergência entre Habermas e Ratzinger é bastante profunda porque eles se apoiam em concepções distintas de razão. O artigo encontra-se dividido em três partes. Na primeira, serão explicitados os elementos centrais do debate que aconteceu em Munique. Em seguida, acentuar-se-á a oposição entre Ratzinger e Habermas. Finalmente, aprofundar-se-á a questão da relação entre razão e religião, acentuando de que maneira cada um deles compreende a razão. O artigo nos conduzirá a identificar a razão como elemento fundamental a partir do qual é possível pensar os dois alemães como antípodas intelectuais.

Downloads

Publicado

2019-12-27

Como Citar

OLIVEIRA, C. M. R. de. RATZINGER E HABERMAS: UM DIÁLOGO ENTRE DOIS ANTÍPODAS. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 51, n. 3, p. 519, 2019. DOI: 10.20911/21768757v51n3p519/2019. Disponível em: https://www.faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/4254. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos