MODERNIDADE (IN)VIÁVEL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20911/21768757v49n3p491/2017

Resumo

Parece que não é mais moderno ser moderno. Para falar em termos hege­lianos, a Gestalt que se chamou de Modernidade parece estar encerrando seu ciclo histórico. Mas neste momento conserva-se e confirma-se aquilo que ela tem tornado verdadeiro e real (verwirklicht), para integrar-se numa nova Gestalt. É a boa herança da Modernidade, embora não possamos esquecer os dejetos que ela produziu, para não voltarmos a reproduzi-los. “Historia magistra vitae”.

Downloads

Publicado

2017-12-29

Como Citar

KONINGS, J.; RIVAS, E. MODERNIDADE (IN)VIÁVEL. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 49, n. 3, p. 491, 2017. DOI: 10.20911/21768757v49n3p491/2017. Disponível em: https://www.faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/3894. Acesso em: 2 jul. 2022.