AS RAZÕES DE MONTAIGNE

Autores

  • Telma de Souza Birchal

DOI:

https://doi.org/10.20911/21769389v33n106p229-246/2006

Palavras-chave:

Razão – ceticismo – subjetividade – Montaigne

Resumo

O presente texto guarda muito de sua origem como exposição oral. Retomo nele, em parte, algumas idéias desenvolvidas em minha tese “Montaigne e seus duplos: elementos para uma história da subjetividade” (USP, 2000). Agradeço à Profa. Míriam Campolina Diniz Peixoto, companheira no gosto pelos Ensaios, esta oportunidade. Resumo: O artigo pretende analisar a questão da convivência, nos Ensaios de Montaigne, de uma aguda crítica da razão, ao modo dos céticos, com um intenso o uso da razão. Pretendemos mostrar que, ao invés de cair na chamada “contradição do cético”, o texto de Montaigne apresenta formas alternativas de racionalidade. Para tanto, identificaremos as diversas formas de crítica e de uso da razão presentes nos Ensaios .

Abstract: The article examines the issue of the presence, in Montaigne's Essays, of a strong criticism of reason not unlike that of the skeptics, along with an intense use of reason. Our aim is to show that, rather than falling in the so called “skeptic's selfcontradiction”, Montaigne's text exhibits alternative forms of rationality. In order to show these alternative forms of rationality, we have identified different kinds of criticism and of use of reason in the Essays.

Downloads

Publicado

2006-01-02

Edição

Seção

Artigos