A Arte na Liturgia Cristã – Memória Viva da Revelação de Deus na Terra

Autores

  • David Bruno Narcizo

Resumo

Na Liturgia, o sinal objetivo do mistério de Deus está nos diversos elementos artísticos explícitos no procedimento de culto. Esta é uma realidade em todas as religiões e, também, a cristã. O mistério se materializa nas diversas criações humanas para, com os seres humanos, se comunicar. Este fenômeno acontece em toda a escritura cristã. Na Literatura Bíblica, vemos antes da queda, um encontro de Deus com os humanos sem haver um objeto material específico, porém, após a queda, o primeiro elemento físico de comunicação está nos materiais criados pelo próprio Deus onde ele revela a sua preocupação quanto à Salvação e Proteção do Ser Humano. “Isso expõe não uma ideia de Deus, mas Seu nome revelado em Suas ações” (BARTH, 2017, p. 80). Dentro de todos os momentos da mesma literatura, vemos os vários materiais propostos e criados para Deus se comunicar: Tabernáculo, Arca, Sacrifício, Fogo, Brisa, etc. Essa manifestação física dar-se-á até o grande fenômeno do Jesus Cristo, sendo ele o ápice da Revelação de Deus na história humana. Contemplamos que Deus criou no princípio, para se comunicar e, após a queda, provoca seres humanos para, através da humanidade, Se manifestar. Deus registra a Sua Revelação na História através da sua criatura e permite, nas criações humanas explicitas e também na liturgia, se revelar. Com as contribuições de Karl Barth, em sua obra Dogmática Eclesiástica e Paul Tillich, na Teologia da Cultura, podemos afirmar que a arte testemunha na liturgia, em memória da ação divina do mistério de Deus na Terra.

Downloads

Publicado

2021-12-17