Possessões demoníacas em Michel de Certeau: Elaborações imaginárias do maligno no confronto com a alteridade

Autores

  • Larissa de Assis Pimenta Rodrigues

Resumo

Este estudo de perfil interdisciplinar se propõe a analisar as aproximações, promovidas pela escrita de Michel de Certeau, entre a história, a psicanálise e a mística, no que tange ao estudo de casos de Possessão. Estes seriam casos em que o sujeito que se vê diante de uma crise individual ou sócio-cultural, e que se defronta, portanto, com uma alteridade que o desestabiliza profundamente, tencionando todos os seus significados e valores. Tal desequilíbrio produziria a sensação de uma ausência, colocando o sujeito em um estado de profundo padecimento. Na historia, esta ausência seria o Outro do passado, na mística o Outro divino, metafísico, e na psicanálise o Outro recalcado em si mesmo que retorna. A pesquisa, portanto, toma como referência os casos de três personagens estudados por Michel de Certeau: Daniel Paul Schreber (Século XIX), de Jeanne des Anges e Christoph Haizmann (ambos do século XVII). Nas histórias destes sujeitos, que viveram fenômenos de possessão demoníaca, a alteridade com a qual eles lidavam ganhava a forma de uma figura maligna, a qual, tradicionalmente na cultura Ocidental, ganha aparência do demônio. Os três domínios de conhecimento também se aproximam na reorganização do sujeito padecente depois do abalo do confronto com a alteridade. Ocorre que o testemunho dado por ele o faz se aliar ao outro de forma que lhe restitui de sua subjetividade depreciada, aniquilada. Parte de si a reconstrução de seu mundo ao relatar o que passou através de um testemunho historiográfico, ou por um tratamento psicanalítico, ou através de uma escuta espiritual.

Downloads

Publicado

2018-11-20