O CORPO D'ANA COMO LUGAR TEOLÓGICO: DEUS E SENSIBILIDADE EM ÉRICO VERÍSSIMO

Autores

  • José Sebastião Gonçalves

Palavras-chave:

Corpo, sensibilidade, Deus, narrativa, simbólico.

Resumo

O romance "Ana Terra" diz respeito à narrativa introdutória do Continente, a primeira parte da trilogia o Tempo e o Vento de Erico Veríssimo. Apesar de ser classificado como uma narrativa histórica-política, nesta oportunidade lançamos outro olhar sobre o texto que consideramos também rico em seu simbolismo carregado de sensibilidade e religiosidade. O corpo d"Ana Terra será nosso guia nestas veredas onde o tempo e o vento escavam o mais profundo da carne desta mulher a fim de nos revelar o que há de mais belo e de mais sombrio nesta pobre existência marcada pela guerra e pela espera. Primeiro faremos uma leitura dos principais elemento simbólicos tais como dos personagens principais, buscando deixar emergir toda eroticidade bem como toda sensibilidade desta magnífica narrativa. Depois, unindo esta simbólica ao corpo d" Ana, buscaremos dar uma significação teológica para alguns elementos que parecem formar a tecitura desta trama. Apesar do paralelo bíblico que consideramos ser principal entre Eclesiastes 1, 1-6 e a narrativa do romancista, não advogamos nenhuma intencionalidade teológica no autor. Porém, parece-nos conveniente afirmar que sua narrativa, principalmente no que diz respeito à história de Ana, do seu corpo, suas dores e prazeres, oferecem rico terreno para pensar a relação entre corpo, sensibilidade e Deus.

Biografia do Autor

José Sebastião Gonçalves

Doutorando em teologia (FAJE)

Downloads

Publicado

2017-10-09