UTOPIA SEVERINA CORPO E TEXTO EM JOÃO CABRAL DE MELO NETO

Autores

  • Cristiano Anderson Bahia

Palavras-chave:

Corpo, lírica, sagrado.

Resumo

Utopia Severina – corpo e texto em João Cabral de Melo Neto “Somos muitos Severinos / iguais em tudo na vida, / na mesma cabeça grande / que a custo se equilibra”. Estes versos de Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, evidenciam o espaço e a importância do corpo não apenas na lírica deste poeta, mas numa problematização mais ampla no campo do sagrado e suas diversas manifestações. Esta comunicação tem o objetivo de discutir o papel sintomático da corporeidade na poesia de João Cabral de forma interdisciplinar: o corpo como personagem literário e como locus theologicus de uma ampla reflexão, que possibilita análises atravessadas pelos campos da literatura, da teoria literária e da antropologia teológica.

Biografia do Autor

Cristiano Anderson Bahia

Mestre em ciências da religião pela PUC-SP

Downloads

Publicado

2017-10-09