SÃO PEDRO DE CALDAS: UM CORPO SOCIORELIGIOSO DE PASSAGENS E ENCONTROS

Autores

  • Isaias Gabriel Franco

Palavras-chave:

Corpo, Identidade, Catolicismo, São Pedro de Caldas.

Resumo

A história do distrito de São Pedro de Caldas, integrante do município de Caldas, estado de Minas Gerais, pode ser remetida a meados do século XVIII, quando a região era percorrida por levas de tropeiros, na ligação entre as primeiras vilas do sul mineiro. Nesta época, a transitoriedade caracterizava a ocupação do território, que, contudo, foi paulatinamente, sendo tomado por fazendas, dedicadas ao abastecimento agropastoril da região. Na década de 1940, as comunidades residentes nas proximidades empenharamse na criação de um pequeno núcleo urbano, tornado distrito nos anos seguintes. Nesta comunicação, visa-se interpretar como relatos de moradores – numa produção textual de cunho memorial – viabilizaram um auto- reconhecimento identitário deste distrito. Sugere-se, como hipótese, que, para tanto, essas narrativas destacaram um duplo aspecto: 1) que a constituição do distrito foi viabilizada não somente por fatores econômicos (a doação de parcela do terreno de uma fazenda para criação da vila), mas também ético-sociais, mais especificamente filantrópicos (a fundação de um polo jurídico e administrativo mais próximo aos centros de atendimento médico no sul de Minas, já que antes da fundação da vila, os doentes deveriam viajar mais de um dia em carro de boi para obter tratamento); 2) a representação simbólica do distrito como um espaço de confluências e de encontros, propiciados prioritariamente pela fé e por distintas vivências católicas – uma dimensão sócio-simbólica que se via, inclusive, capaz de produzir novas significações. A proposta de inclusão desta pesquisa, promovida como projeto de iniciação científica no curso de História da UFOP, no II Colóquio Interfaces, deveu-se tanto à perspectiva interdisciplinar (entrecruzando religiosidade, historicidade e literatura memorial) que a mesma adota, como ao entendimento de que o distrito de são Pedro de Caldas, nas narrativas de seus habitantes, possibilita uma analogia da cidade com o imaginário do corpo (enraizado, para Simone Weil; simbólico, para Ítalo Calvino).

Biografia do Autor

Isaias Gabriel Franco

Graduando do Curso de História – UFOP

Downloads

Publicado

2017-10-09