UMA REFLEXÃO SOBRE A CORPOREIDADE: CÂNTICO DOS CÂNTICOS E POESIA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA

Autores

  • Flávia Luiza Gomes

Palavras-chave:

Corporeidade. Teologia. Poesia. Vivência.

Resumo

A comunicação propõe refletir sobre a corporeidade no diálogo entre teologia e literatura por meio do Cântico dos cânticos e poesia contemporânea brasileira. A análise da tendência da religião em conservar sua postura moral e legalista quanto à sexualidade em contrapartida a novos questionamentos sobre a experiência de Deus na vivência do amor erótico-afetivo traz apontamentos sobre a compreensão e vivência do corpo. Numa leitura fundamentalista, a religião pode se ancorar na Bíblia fazendo uso de textos como os conformados no período pós-exílico no qual ocorre a implantação de um modelo moralista, legalista. O corpo, a sexualidade, é usado para eliminar o convívio dos homens judeus com mulheres de outros povos. Especial atenção é dada à Lei da pureza onde o mais atingido é o corpo. Nessa época em que o amor humano, com toda sua sensualidade e sexualidade é relegado ao nível profano, surge o Cântico dos cânticos numa nítida contestação e resistência que se conforma num modelo erótico-afetivo centrado no corpo, no desejo e prazer, como plena realização do amor que é chamado de “labareda de Javé”. Atualmente os questionamentos podem ser exemplificados e assemelhados na poesia brasileira como na escrita de Adélia Prado que contesta: “nisto consiste o crime, em fotografar uma mulher gozando e dizer: eis a face do pecado. Por séculos e séculos os demônios porfiaram em nos cegar com este embuste”. A reflexão aponta para a necessidade de uma pastoral que não prescinda a reflexão sobre a corporeidade. E não oblitere sua vivência em todas as suas facetas considerando que o sentido espiritual do Cântico está em sua literalidade.

Biografia do Autor

Flávia Luiza Gomes

Mestre em Ciências da Religião

Downloads

Publicado

2017-10-09