PRÁXIS LIBERTADORA: UMA COMPREENSÃO DE PRÁXIS NO PENSAMENTO TEOLÓGICO DE FRANCISCO TABORDA

Carlos Rafael Pinto

Resumo


Considerando o apelo eloquente que vem dos mais frágeis e necessitados, pretendemos mostrar a estrutura interna do conceito de “práxis” e seu sentido teológico, na obra Cristianismo e ideologia, do teólogo jesuíta Francisco Taborda. Para desenvolver esse tema, compreende-se previamente o homem como “ser histórico”, cuja especificidade se realiza na práxis: uma hermenêutica feita pelo homem da produção da história que ele mesmo faz, constituindo uma dinâmica entre ação e reflexão. Por fim, este artigo conclui: embora a práxis histórica seja do homem, cuja obra é transformar o mundo, a mediação teológica dessa práxis acontece como uma abertura e, ao mesmo tempo, como uma resposta humana ao apelo eloquente que vem dos “rostos” de Deus, preferencialmente, os pobres, os oprimidos, os refugiados, os imigrantes e outros “rostos” que nos interpelam.


Palavras-chave


Ser histórico; práxis; rostos de Deus

Texto completo:

PDF